O ex-deputado e radialista Carlos Geílson (Podemos) e o deputado federal Zé Neto (PT) teoricamente ocupam a mesma trincheira política. Estão no grupo do governador Rui Costa. Porém, na prática, andam bem distantes.
O mais novo capítulo dessa história de farpas e arranhões foi motivado pelo apoio do deputado petista ao movimento de moradores, ligados ao Sindicato dos Trabalhadores Rurais, impedindo a circulação de ônibus da empresa Rosa.
Foi a chama que faltava para reacender a fogueira da discórdia. Mesmo sem ter seu nome citado, Zé Neto foi criticado pelo prefeito Colbert (leia mais) e, mais duramente, por Carlos Geílson em seu programa na rádio Transamérica. “Torce para o caos: quanto pior, melhor. É lobo com pele de cordeiro”, disparou Geílson em direção ao petista, mesmo sem citar seu nome.
Carlos Geílson dispensou alguns valiosos minutos de seu programa matinal para comentar a presença do petista na porta da garagem da empresa de ônibus, a quem chegou a comparar a um famoso personagem de novela da Globo, o Sasá Mutema.
“Eu fico pasmo como é que tem gente que quer governar esta cidade e torce para o caos: quanto pior, melhor. A vontade de atingir o seu objetivo, a obstinação pelo poder, leva a torcer, a patrocinar e a defender o caos, para depois aparecer como ‘salvador da pátria’, como o ‘Sasá Mutema’ de Feira de Santana. Para esse tipo de político, nós devemos ficar de olhos bem abertos. Eles não têm compromisso com a cidade. O compromisso é com o seu objetivo, com a materialização do seu objetivo e para isso, não medem esforço, não têm limite. É isso que você, feirense, deve ficar de olhos bem abertos. Cuidado para não se engabelar, cuidado para não ser ludibriado. É lobo com pele de cordeiro”, disparou Geílson em seu programa, tendo como alvo Zé Neto.
Um atrito cada vez evidente e que, no momento, inviabiliza o projeto de poder do governador Rui Costa em Feira de Santana.