A fase educativa e de orientação da fiscalização sobre o cumprimento do decreto municipal que proíbe eventos com aglomeração em Feira de Santana será substituída por ações severas contra quem insiste em descumprir estas determinações. A informação é do prefeito Colbert Filho.
“Primeiro a fiscalização vai lacrar o local e depois o alvará de funcionamento será cassado destes estabelecimentos cujos proprietários insistem em descumprir o decreto”, afirmou o prefeito Colbert, salientando que os prepostos do município vão intensificar este trabalho.
O prefeito também afirmou que vai acionar a PGM (Procuradoria Geral do Município) para que denuncie as pessoas que insistem em não atender ao decreto de calamidade pública contra o coronavírus. Os problemas são registrados tanto na zona urbana como na zona rural.
Apenas neste mês, as denúncias pelo canal Fala Feira, o telefone 156, se aproximaram de três mil. Os mais citados, de acordo com a coordenadora do 156, Marluce Araújo, são aglomerações, festas em residências e jogos de futebol, os conhecidos babas.
“As pessoas não estão seguindo as regras”, diz. Pelo 156 já foram denunciados que 273 bares estavam abertos, 50 estabelecimentos com aglomerações, 49 locais que não foram incluídos no decreto, mas que continuam funcionando, 25 de aglomerações em espaços públicos e outras três denunciaram lojas onde os comerciários estão sem os devidos EPIs.