A diretoria do Fluminense de Feira apresentou, recentemente, o balanço do primeiro semestre. O presidente do clube, deputado estadual Pastor Tom, em entrevista ao Protagonista, explica a atual situação do tricolor feirense dentro e fora de campo. “A gente trabalhou batendo de porta em porta e conseguimos alguns patrocínios. Já conseguimos, nesse momento, rescindir com 97% do elenco”, explica o deputado e presidente.
O Protagonista: Qual sua avaliação sobre as contas do Fluminense no primeiro semestre?
Deputado Tom: Eu entendo que está sendo um momento muito difícil, mas até aqui nós temos mantido as necessidades do Fluminense, contando com a ajuda dos sócios torcedores. Porque, na verdade, o Fluminense não tem dono, é de Feira, e quem administra tem que ter transparência, e isso nós estamos mostrando.
O Protagonista: Como o sr. conseguiu equilibrar essas contas?
Deputado Tom: Eu não posso gastar mais do que eu ganho. Se eu ganho 1 mil, eu não posso gastar 2 mil. Então nós fizemos um planejamento baseado na receita.
O Protagonista: De onde vem o dinheiro do clube?
Deputado Tom: O dinheiro do clube, lógico, vem de patrocínios. A gente trabalhou aí batendo de porta em porta na cidade e conseguimos alguns patrocínios. Eu também tenho uma participação, da minha parte, bancando alguns custos.
O Protagonista: Quanto custa a folha mensal do Flu e se está sendo paga a folha, durante a pandemia de coronavírus?
Deputado Tom: Não contratei para esta temporada. Já encontrei o elenco pronto. Fiz três ou quatro contratações e fiz algumas dispensas. O dinheiro que vai entrando, temos pago aos jogadores. Conseguimos, nesse momento, agora rescindir com 97%. Estava faltando dois jogadores. Estamos conversando e vamos chegar a um denominador comum. O que não queremos é um time com várias ações trabalhistas. No ano de 2018, vários processos correram à revelia do clube e nós encontramos isso.
O Protagonista: Qual sua expectativa para o segundo semestre?
Deputado Tom: Minha expectativa para o segundo semestre é trabalhar. Bater de porta em porta das empresas de Feira de Santana, chamar o sócio torcedor para participar e honrar os compromissos. Para o segundo semestre de 2020 nós não temos nenhuma programação de competição. Estamos trabalhando para que em 2021 tenhamos um calendário mais elástico de competições.