Um Decreto baixado pelo governo municipal estabelece novas regras para sepultamentos em Feira de Santana, devido à pandemia de coronavírus – antes eram apenas recomendações. A partir de agora, óbitos até as 14h têm que ser sepultados no mesmo dia. Após esse horário, só no dia seguinte.
O Decreto também estabelece regras de higiene e segurança para enterros no município. Os coveiros têm usado roupas especiais de proteção, por exemplo. “Em cada enterro só podem comparecer dez pessoas da família ou amigos”, explica Paulo Pinheiro, administrador do cemitério São Jorge.
Quando a morte for confirmada por covid, as medidas são ainda mais duras. “Em caso de morte por coronavírus não pode haver velório em casa ou nos centros de velórios. O corpo deve permanecer nas unidades onde aconteceu o óbito até o momento do sepultamento”, explica Pedro Américo Lopes, chefe de Gabinete da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social.
Porém, esta medida causa polêmica. Segundo Carlos Brandão, presidente da Associação de Funerárias da Bahia, em entrevista à TV Subaé, nas UPAs de Feira, por exemplo, geridas por empresas privadas, não há refrigeração para acondicionar e conservar os corpos. Nas funerárias também não tem refrigeração.
Segundo Pedro Américo, se houver necessidade, o Decreto para sepultamentos será ajustado.