O deputado estadual Targino Machado (DEM) diz que, em relação a vagas de UTI para coronavírus, Feira de Santana está colapsada há cerca de 15 dias. Em isolamento social, o parlamentar comentou a situação para o Protagonista.
“As emergências privadas estão com pacientes na fila. E não são poucos. As emergências públicas, UPAs e Policlínicas, estão assim há 15 dias. Essa declaração do prefeito chega com atraso. Isso ocorre por falta de estrutura em uma cidade com mais de 600 mil habitantes. Dez leitos de UTI da Prefeitura e dez leitos do estado é pouco”, avalia.
“Vamos deixar claro que a obrigação primária de atender a população é municipal, não estadual. Vão inaugurar mais 40 vagas de UTI no Clériston Andrade 2, mas não vai satisfazer à demanda. E ainda não estamos no pico. Vou repetir: não estamos no pico da doença. Aviso isso desde o início de março, antes do primeiro caso, no dia 6. Sendo interpretado até como chato, por alguns”, salienta.
“Lamento e digo que a morte no nosso Brasil, e de forma especial na Bahia e em Feira, sempre foi banalizada pela violência urbana e rural. Agora está sendo banalizada pela falta de estrutura da rede de saúde pública para fazer frente a uma pandemia. Essas mortes poderiam ser evitadas, com responsabilidade dos gestores públicos.  Precisamos de, pelo menos, mais 100 leitos de UTI em Feira. O resto todo é conversa fiada”, adverte Targino.
“Vimos a situação na Europa e tivemos tempo para nos preparar, mas não o fizemos. Quem vai ser responsabilizado por essas mortes? Falo como médico e cidadão. E agora, vai se fazer o que com esses gestores irresponsáveis? Essa é minha indignação”, conclui o deputado.