Importantes aliadas no combate à proliferação do coronavírus em todo o mundo, as máscaras podem ser motivo de dor de cabeça para as vereadoras feirenses Gerusa Sampaio e Eremita Mota. Ambas têm o rosto estampado em máscaras e podem ser alvo de investigação do Ministério Público Eleitoral, por abuso de poder econômico e campanha eleitoral antecipada.
De acordo com o site Bahia Notícias, o MPE, que é ligado ao Ministério Público Federal, informa que “se for demonstrado investimento de recurso elevado na aquisição e distribuição do material, pode caracterizar eventual abuso de poder econômico”.
Ainda segundo o Ministério Público, a depender do número de eleitores alcançado, pode, também, se caracterizar como propaganda eleitoral antecipada.
Ao Bahia Notícia a vereadora Eremita disse que não houve distribuição. “Um amigo fez apenas 10 máscaras e me enviou, mas eu não encomendei. Não falo política dando brindes”, argumentou Eremita.
Ao Protagonista a vereadora Gerusa Sampaio se pronunciou. “Ganhei a máscara de uma guarda municipal, amiga. Me deu de presente no último dia de sessão antes do recesso parlamentar. Agradeci, mas disse que guardaria em casa porque não poderia divulgar nem circular. Ela fez uma foto minha e postou em suas redes sociais. Tenho 13 anos como vereadora, conheço as leis. Não iria me prejudicar. Jamais faria isso. Quem me conhece sabe de minha postura e retidão. Alguma pessoa maldosa pegou a foto na rede social e agiu de má fé. A máscara está guardadinha na minha casa. Desafio a alguém encontrar mais de uma. Só se alguém de má fé reproduzir e distribuir”, explica Gerusa.
Vale salientar que a máscara de Gerusa não tem qualquer mensagem. Já na máscara com o rosto de Eremita tem a seguinte mensagem: "Tô com Eremita", frase normalmente usada em peças eleitorais anunciando pré-candidaturas.