Um dos maiores símbolos do Nordeste, o vaqueiro foi tema de homenagem no domingo (19). A dureza do labor nas caatingas nordestinas, conduzindo a boiada ou na caça de um ou outro boi desgarrado, é a essência do trabalho desse mais digno representante da garra do povo nordestino.
Em Feira de Santana, o empresário e pecuarista José Francisco Pinto, Zé Chico, lembrou da data especial. "Nossas raízes, da grande Santana dos Olhos D’água, passa pelo vaqueiro. Nas veias dos feirenses corre esse sangue valoroso desses homens especiais", destaca Zé Chico.
Pecuarista, homem do campo também, Zé Chico lembra das próprias origens. "Cresci vendo o trabalho dos vaqueiros, pelos quais tenho grande respeito e admiração. Além disso, aproveito para homenagear meu tio, grande vaqueiro Petrolino Ferreira Pinto, o conhecido Zinho Pinto", destaca.