Tem um ditado popular que diz: “de filho feio ninguém quer ser pai”. Porém, quando o rebento é bonito, de olhos verdes ou azuis, a adoção é quase certa. Pois bem, os vereadores Lulinha e Marcos Lima (ambos do DEM) de novo estão às voltas com a disputa da paternidade de um serviço realizado pela Prefeitura.

O filho bonito disputado pelos dois vereadores feirenses é a instalação de quatro postes de iluminação na avenida Heitor Vila Lobos, no bairro Conceição II. Com direito a bate-boca, flagrado em um vídeo.

Na filmagem, Lulinha aparece discutindo asperamente com um morador que o desmentia. O vereador teria ido ao local para reclamar a paternidade do serviço, afirmando ser de sua autoria a solicitação para a instalação dos postes.

Porém, segundo a assessoria de Marcos Lima, líder do governo municipal na Câmara, os postes foram colocados após sua interferência junto ao prefeito Colbert Filho.

Pronto, o arerê estava formado. Inconformado, Lulinha retrucou e bateu boca com um morador identificado como Carlos. "Você nunca fez nada, rapaz! Você está indo na carona. Teve uma reunião em minha casa, o cara veio, se reuniu com a gente", afirma o morador, ressaltando que a demanda foi apresentada por outra pessoa, identificada como "Dona Leninha" e que Lulinha não deu atenção ao pleito quando foi procurado. 

"Já estava pago", disse Lulinha. "Quando 'Leninha' pediu colocaram [os postes] aqui, do lado de lá, e eu botei do lado de cá. Agora você esqueceu o que eu já fiz. O senhor esqueceu que morava dentro da lama e que fui eu que briguei por isso aqui", argumentou Lulinha, segundo matéria do site Bahia Notícias.

Provocado novamente e questionado sobre a apresentação de um documento que comprovasse a indicação, Lulinha responde que "o prefeito é quem vai dizer quem "conseguiu" a tal intervenção.

O vídeo com o arranca-rabo entre Lulinha e morador também foi divulgado pelo jornalista Rafael Velame, em sua conta no twitter (https://twitter.com/i/status/1294723636000161794).

Lulinha e Marcos Lima já andaram disputando a "paternidade" de outros serviços e obras do governo municipal. Como a instalação de ar-condicionado em escolas municipais, por exemplo. Aí é rivalidade antiga, Virou Ba-Vi.