Ao completar 14 anos no ar, o programa Rotativo News, na rádio Sociedade, às 15h, de segunda a sexta, se firmou como uma referência em jornalismo no horário. Ancorado pelo experiente jornalista Joilton Freitas, o programa se diferencia pela produção refinada e criativa.

Em entrevista ao Protagonista, o âncora Joilton Freitas revela que, na trajetória do Rotativo News, já foi ameaçado de morte e de ter a língua cortada, em uma época em que era crítico do "Lulapetismo". Fala, também, sobre novos projetos.

O Protagonista - Como foi o início do programa Rotativo News? Como surgiu a ideia do programa?

Joilton Freitas – Surgiu quando eu era co-âncora de outros programas, como o Linha Direta com o Povo e o Bom Dia Feira, nas rádios Sociedade e Princesa FM, respectivamente. Eu sempre tive vontade de comandar um programe e ser âncora. Com o incentivo de Dilson Barbosa e Frei Monteiro, fomos para esse horário de 15h. Já havia Paulo José e Jorge Bianchi, antes e após o horário. Foi uma época complicada, mas conseguimos transformar o horário com muita luta. Mostrar que à tarde o rádio existe e existe diferente. Tanto é que estamos aí fazendo a diferença este horário da tarde e passando informação de uma forma diferente e contribuindo para que a Sociedade News seja a grande líder de audiência que é.

O Protagonista - No decorrer de todos esses anos, alguma situação marcou o programa?

Joilton Freitas – Na realidade, todo dia é diferente. A gente tem o desafio constante de tentar fazer um programa que não seja repetição do que já houve no decorrer do dia. Temos todos os dias situações diferentes. Temos um programa bem produzido. Uma hora que precisa ser bem usada. São várias situações que surgem. É dinâmico e há a adrenalina o tempo todo. Isso que é diferente no Rotativo News, essa dinâmica.

O Protagonista – Nesses 14 anos de programa, algum problema com políticos?

Joilton Freitas – Nunca tivemos um problema específico com esse ou aquele político. Tivemos problemas sérios, mas hoje menos, devido à nossa posição liberal, conservadora. Isso incomodou muita gente, principalmente quando o ex-presidente Lula era uma espécie de semideus no Brasil. E nós começamos a mostrar todos os erros cometidos pelo “Lulapetismo”. Fomos ameaçados de morte várias vezes, de cortar minha língua, darem surra, tentar tirar do ar o programa, etc. Vivemos uns 5 anos de apreensão. Época difícil pra gente. Mas continuamos na linha de defender a democracia e que o dinheiro público seja usado em benefício do povo, não de banqueiros. Conseguimos vencer porque, antes de tudo, estamos em uma emissora democrática que prima pela ética e tivemos sempre apoio da Fundação Santo Antônio. Aproveitando para agradecer aos freis Monteiro, Elenilson, Vandeir Santana e hoje a Frei Jorge. Temos uma linha editorial definida, buscando os fatos sem criar narrativas falsas. Passamos por situações complicadas, hoje bem menos, mas ainda sofremos. Sabemos que entre os jornalistas 80% são de esquerda. Mas temos conseguido levar à frente nossa linha e acho que agradamos, porque somos líderes de audiência há anos no horário. Hoje temos um outro grande problema que é a pandemia de covid, que gerou mais dificuldades do ponto de vista econômico, mas estamos conseguindo passar pela crise graças à credibilidade conquistada e a nossos parceiros comerciais que acreditam em nosso trabalho.

O Protagonista - A comunicação vive em evolução constante. O que você prevê para o programa nos próximos anos?

Joilton Freitas – Estamos já na expectativa do que possa acontecer do ponto de vista tecnológico. Mas dentro do sentido do formato, vamos seguir com ele. Não pensamos em mudar. Também aprimorar na questão do conteúdo, rapidez em informar de maneira mais dinâmica. Temos já o Rotativo.com, com seis meses na internet, e já conquistando seu espaço. Temos intenção de colocar o programa com Live no Instagram e Facebook ao vivo. O rádio tem ainda um aspecto não televisivo, mas temos que trabalhar para que o formato de rádio não seja cansativo para o internauta na questão das Lives, embora os bastidores do programa seja algo bastante alegre, sem deixar a seriedade de lado. Então vamos amadurecer isto.