“A política-partidária em Feira de Santana não tem histórico de violência e eu não vou entrar nessa onda de ódio. Manifestações desse tipo também refletem que há desespero nos opositores”. Assim reagiu o prefeito Colbert Filho ao saber da pichação “Colbert assassino” em um viaduto de uma das avenidas mais movimentadas da cidade.

Colbert salientou que esse não é o primeiro ataque, mas garante que não vai reagir no mesmo tom. “Nós estamos vivendo um momento muito difícil com a pandemia, com gente sofrendo, morrendo, e esse tipo de violência é do mais baixo nível”, lamenta.

O prefeito destaca, ainda, que se a oposição fez a pichação em alusão ao enfrentamento da pandemia no município, ela “agiu com extrema má fé, porque a letalidade em Feira é menos que a registrada em Salvador, no Nordeste, na Bahia e no Brasil, segundo dados da própria Sesab. Na média de crescimento da epidemia, Feira está em 232º lugar entre os municípios baianos, também conforme a Sesab”.

“Se a oposição está tentando me atrair para um jogo sujo, pode mudar de tática. O povo de Feira de Santana terá de minha parte todo o respeito, com uma campanha de apresentação de grandes propostas para o bem-estar da população e não ataques que demonstram desespero e despreparo psicológico para governar um município”, acrescentou Colbert. 

O Governo Municipal vai oficiar uma solicitação para que a Polícia Civil investigue e tente descobrir a autoria da pichação.