“Já discutimos sobre o assunto, governo municipal e sindicato, inclusive fazendo as adequações necessárias nos protocolos de segurança. Agora a reabertura de bares e restaurantes em Feira de Santana está nas mãos do prefeito”. A informação passada ao Protagonista neste domingo (2/8) é de Getúlio Andrade, presidente do Sindicato de Hoteis, Bares, Restaurantes e Similares.

Na proposta do Sindicato para reabertura dos estabelecimentos constam limitação de seis pessoas por mesa, apenas metade da capacidade de clientes e sem música ao vivo, como o Protagonista antecipou (leia mais).

“Neste domingo (2) completamos 4 meses e meio de fechamento de bares e restaurantes em Feira de Santana. Entendemos a necessidade das medidas restritivas e apoiamos, mas do ponto de vista econômico-financeiro a categoria foi pro espaço”, avalia Getúlio. A expectativa da categoria era, inclusive, de reabrir neste final de semana, o que não aconteceu. "A ansiedade é grande", acentua. 

O dirigente vê como animadores os últimos números de coronavírus no município, além da ampliação da capacidade de leitos de UTI para casos mais graves. “Graças a Deus percebemos estabilização de novos casos positivos e óbitos. Adotando todas as medidas de prevenção podemos conviver com a pandemia, inclusive nos bares e restaurantes”, avalia Getúlio.

Andrade também se manifestou sobre a informação de que a grande maioria de estabelecimentos fechados pela fiscalização em Feira de Santana, é de bares. “O Sindicato não pode ser responsabilizado por isto, porque é preciso, primeiro, saber se esses estabelecimentos estão filiados e legalizados. Da mesma forma que quando as atividades da categoria voltarem, não podemos garantir que o protocolo será seguido por quem não tem vínculos com a entidade, porque não temos contato com esses comerciantes”, pontua.