“Estar filiado a um partido político não é cabresto para ninguém. Não tenho cargos nem no governo municipal nem no governo estadual, portanto voto em quem eu quiser”. A declaração é do ex-prefeito Tarcízio Pimenta (DEM).

De acordo com Tarcízio, o fato de não ter nenhum cargo aumenta seu grau de independência em relação à posição nas eleições municipais de novembro. “Estou como um passarinho: livre. Não tenho ninguém que dependa de meu apoio para manter o emprego”, destaca.

Pimenta deu como exemplo o deputado estadual Targino Machado. “Ele é deputado, com mandato, filiado ao DEM, mas já declarou apoio a Carlos Geílson, do Podemos. Então por que eu teria que apoiar o candidato escolhido pelo partido?”, argumenta.

Em contato com o Protagonista na manhã desta quinta-feira (6) o ex-prefeito também falou sobre uma possível candidatura da esposa e ex-deputada Graça Pimenta a vereadora. “Isso ainda vamos decidir. Mas se ela for candidata a vereadora, quem vai pedir votos somos eu e ela a nossos amigos”, salienta.

Tarcízio Pimenta foi prefeito de Feira entre 2008 e 2012, com apoio de José Ronaldo. Não conseguiu se reeleger. Perdeu a eleição justamente para Ronaldo. Teve um desempenho decepcionante nas eleições de 2012, ficando na quarta colocação, atrás de Ronaldo, Zé Neto e Jhonatas Monteiro (PSOL).