Atento aos transtornos provocados pela manifestação conjunta realizada por um grupo de cinquenta pessoas ligadas à APLB/Sindicato dos Professores e vendedores ambulantes que resistem em tirar suas barracas dos passeios do centro da cidade, o prefeito Colbert Martins Filho considerou as atitudes dos manifestantes como “um exemplo de intolerância, de falta de argumentos, de ódio e de desespero de meus adversários”.

Colbert avaliou que mesmo se tratando de um grupo pequeno de manifestantes, a atitude deles de interditar o acesso pelo cruzamento entre as avenidas Senhor dos Passos e Getúlio Vargas, inclusive tocando fogo em restos de madeira e pneus, causou grandes prejuízos aos comerciantes, transeuntes e a quem necessitava transitar pelo centro da cidade, inclusive para se deslocar para clínicas médicas.

Mesmo diante da pressão dos manifestantes, à qual deixa claro ver como de cunho político, Colbert Martins Filho garante que não vai recuar na decisão de melhorar a cidade, fazendo as reformas e mudanças necessárias e que atendam aos anseios da grande maioria da população feirense. “Continuarei com muita determinação e muita coragem cumprindo meu dever de dar uma nova cara a Feira de Santana e proporcionar aos barraqueiros, aos ambulantes um lugar digno, com infraestrutura adequada para tocar seus negócios, tocar sua sobrevivência e ganhar seu dinheiro”, afirmou.

Para o prefeito, a decisão e determinação dele de executar as obras que tanto a cidade necessita é que tem assustado quem resiste às mudanças. “Essa minha disposição e coragem de renovar, de mudar Feira de Santana, tem assustado muito. Jamais esperavam que eu tomasse uma atitude tão ousada, tão inovadora, para a minha, para a sua, para a nossa querida cidade. Não esperavam porque jamais teriam coragem de fazer o que eu estou fazendo agora. Podem continuar assustados, podem continuar desesperados, porque eu sim, já estou mostrando que na prática tenho coragem, determinação e vontade de transformar a Feira de Santana numa cidade cada vez melhor”, concluiu.