A APLB de Feira de Santana, através de sua assessoria de comunicação, entrou em contato com o Protagonista sobre matéria relacionada à arrecadação milionária da entidade nos últimos 6 anos, de contribuição sindical da categoria (leia mais). Na matéria, a entidade justifica gastos, entre eles com propaganda, folha de pagamento e aquisição de bens, como automóvel e uma nova sede em construção. No entanto não menciona claramente prestação de contas - a matéria não traz valores gastos. “A APLB Feira está sempre demonstrando aos trabalhadores em educação filiados à entidade, os investimentos e as ações do Sindicato, o que é constatado pela forma atuante em nosso Município”, diz trecho da nota. Confira a íntegra da matéria enviada ao Protagonista pela assessoria de comunicação.

“A APLB Sindicato de Feira de Santana entidade que representa os trabalhadores em educação das Redes Estadual e Municipal de Feira de Santana em sua atual gestão sempre investiu na luta da categoria, resistindo aos diversos ataques dos Governos pela garantia dos direitos da classe que representa e por uma Educação Pública gratuita e de qualidade para todos.  

Nos últimos cinco anos, a entidade que conta com funcionários para melhor atender às atividades do Sindicato, Assessoria de Comunicação e Jurídica, investe em ações, atos, protestos e divulgação na mídia escrita, falada, televisiva e digital, adquirindo também bens para a categoria, como o carro e a construção da nova sede que fica localizada no centro da cidade e será um grande patrimônio da categoria e legado da atual gestão. A obra da nova sede que já está em seu 3º pavimento, terá um auditório que vai comportar cerca de mil pessoas, um espaço que nem mesmo a Secretaria de Educação do Município possui, onde serão realizadas as assembleias, os encontros, as formações e reuniões da categoria, que antes da pandemia eram realizados em locais alugados.

A APLB Feira está sempre demonstrando aos trabalhadores em educação filiados à entidade, os investimentos e as ações do Sindicato, o que é constatado pela forma atuante em nosso Município, culminando até mesmo em processo que foi indeferido pela Justiça Eleitoral, movido pelo atual Prefeito Colbert Martins que solicitou a retirada da faixa “Fora Colbert”, exposta na parte externa da sede do Sindicato no Edf. Ana Müller, bem como todo o material divulgado no site e nas redes sociais da entidade, das ações de protesto contra a perseguição do Prefeito que cortou os salários dos professores da Rede Municipal em até 70%, desde abril, em plena pandemia, mesmo recebendo os R$ 201 milhões dos recursos do Governo Federal para a Educação de Feira de Santana, deixou mais de 50 mil estudantes da Rede Pública sem alimentação escolar por mais de cinco meses, mesmo recebendo R$ 480 mil mensais de recursos do Programa Nacional de Alimentação Escolar e cortou a bolsa dos estagiários da Educação. O Juiz eleitoral inclusive entendeu que “Censura notadamente prévia não se alinha com o estado democrático e de direito.” E que o Sindicato pode se opor ao discurso político que desatenda aos interesses da classe que representa.

A APLB Sindicato é constituída e representa os trabalhadores em educação, atacar a entidade é atacar os professores e funcionários que lutam pela garantia dos seus direitos”.