Notícia

"Ele me deu um soco no rosto", diz passageira de aplicativo de transporte; caso foi parar na delegacia

Ana Paula Mendes exibe as marcas do soco que teria sido desferido pelo motorista de aplicativo
"Ele me deu um soco no rosto", diz passageira de aplicativo de transporte; caso foi parar na delegacia "Ele me deu um soco no rosto", diz passageira de aplicativo de transporte; caso foi parar na delegacia

Uma chamada para um aplicativo de transporte virou caso de polícia, em Feira de Santana. Uma mulher diz ter sido agredida por um motorista de aplicativo, na tarde de sexta-feira (14), em pleno centro da cidade.

De acordo com a técnica de enfermagem Ana Paula Mendes, de 36 anos, em entrevista ao site Conectado News, uma corrida foi solicitada através de um aplicativo de transporte. “O motorista chegou nervoso e reclamou por eu estar com uma quentinha e não deixou que eu colocasse minhas sacolas dentro do carro. Discutimos e o motorista me agrediu com um soco no rosto”, relata.

"Eu estava esperando o carro na avenida Senhor dos Passos. Quando o motorista chegou se mostrou mal educado, falando que era para eu pegar as sacolas e colocar no assoalho do banco da frente. Questionei o motivo de colocar as sacolas no banco da frente, já que eu iria sentar no banco de traz. Ele disse, de forma bem grosseira, que não iria colocar as sacolas atrás para não sujar o carro. Falei que não iria colocar as sacolas no banco da frente, queria as sacolas perto de mim", relata a técnica de enfermagem.

"Eu pedi para ele cancelar a corrida porque tinha que levar a alimentação das minhas crianças, mas ele não cancelou. Então pedi para o motorista baixar o vidro para fazer o cancelamento. Ele disse: ‘se quiser cancele’, e fechou o vidro bruscamente”, afirma Ana.

Ao Conectado News, Ana Paula afirmou que o motorista não cancelou a corrida porque queria que ela cancelasse, devido a uma multa em caso de cancelamento de corrida. "Eu bati no vidro do carro e pedi, por favor, para ele cancelar, pois eu precisava pegar outro carro e ir para casa, pois estava com o almoço das minhas crianças. Foi quando ele desceu e me empurrou. Eu revidei e empurrei, porque já estava nervosa. Então ele me deu um soco no rosto, entrou no carro e saiu”, explica Ana Paula.

“As pessoas que estavam no local me ampararam e anotaram a placa do carro. Fiquei muito abalada e chorando muito, então fui à delegacia no bairro do Sobradinho para fazer o Boletim de Ocorrência. No sábado (15), fui ao Departamento de Polícia Técnica (DPT), para fazer o exame de corpo de delito”, relata. Segundo a técnica de enfermagem, uma audiência está marcada ainda para o mês e outubro.

(Fonte: site Conectado News)

Comentários (1)

Acontece comigo diferente chamei um aplicativo para igreja na esquina mandei ele para é chamei com para para pegar um irmão de igreja ele que não ia parar 5.30 da manhã porque a reunião era 6.hs simplesmente ele mandou eu descer fiquei no meio da rua sozinha nesse horário subi andando arriscado minha vida só que reclamei no uber ante hj não mim deram resposta simplesmente mim bloquearam e não consigo baixar o aplicativo

Leia mais

Cidade - O Protagonista
Atualizado em 16-06-2021 08:31

Morre o radialista Rogério Santana


Política - O Protagonista
Atualizado em 15-06-2021 17:43

Carlos Geilson critica iniciativa de mudança nas regras eleitorais


Política - O Protagonista
Atualizado em 15-06-2021 16:57

ACM Neto no radar de Bolsonaro para candidato a vice em 2022, diz revista


Política - O Protagonista
Atualizado em 15-06-2021 10:46

Vereadores Jurandy e Lulinha disputam "paternidade de filho bonito"


Publicidades